Teixeira de Freitas recebe Mutirão do Glaucoma

  Teixeira de Freitas - Bahia | 24 de abril de 2017 - 11:54 |   Imprimir

O Mutirão do Glaucoma chegou a Teixeira de Freitas. Cerca de 1000 pessoas serão atendidas. Nos dias 25 de abril, 04, 05, 23 de maio serão realizados os atendimentos a pacientes que estão cadastrados no ‘Programa Glaucoma’, já no dia 24 de maio haverá atendimento a novos pacientes que se encaixam no perfil. A estrutura será montada no CER 4 (Centro Especializado em Reabilitação), situado na Avenida das Nações, a partir das  7 horas da manhã.

Público

O público-alvo atendido no mutirão é formado por pessoas com mais de 40 anos, diabéticos, hipertensos, altos míopes, pessoas que já possuem diagnóstico de Glaucoma ou que tenha casos da doença na família, independente da idade.

Agendamentos

As consultas deverão ser agendadas no Complexo Regulador do município, que está situação na Rua Visconde de Cayru, bairro Nova Teixeira, ao lado do SAMU, das 14h às 17h. As pessoas que serão atendidas devem portar originais e cópias do RG, comprovante de residência e Cartão do SUS de Teixeira de Freitas.

Programa Glaucoma

O Mutirão é uma iniciativa do Governo Federal em parceria com o governo do Estado, que em parceria com a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), ‘Programa do Glaucoma’ para ampliar o acesso de centenas de pessoas ao diagnóstico preciso e tratamento da doença. O Programa do Glaucoma, criado pelo Ministério da Saúde (MS), presta atendimento à população pelo Sistema Único de Saúde (SUS) com equipe formada por oftalmologistas e técnicos de enfermagem.

Glaucoma

O glaucoma é uma doença que atinge o nervo óptico e envolve a perda de células da retina responsáveis por enviar os impulsos nervosos ao cérebro. A pressão intraocular elevada é um fator de risco significativo para o desenvolvimento do glaucoma.

Se não for tratado, o glaucoma leva ao dano permanente do disco óptico da retina, causando uma atrofia progressiva do campo visual, que pode progredir para cegueira. Um dos principais sintomas da doença é a perda da visão periférica na fase inicial. No começo a perda é sutil, e pode não ser percebida pelo paciente, por isso é importante a realização dos exames, inclusive em casos de perdas moderadas a severas.

ACESSO RÁPIDO
FACEBOOK